Como descobrir defeitos e qualidades para falar em entrevista

Postado em 9 de set de 2023
Loading...

Entrevistas de emprego são desafiadoras por si só. Mas o desafio ganha algumas camadas de complexidade quando o recrutador lança aquela pergunta: “na sua opinião, quais são os seus maiores defeitos e as suas maiores qualidades?

Neste artigo, vamos deixar algumas dicas de como você pode se sair da melhor forma dessa questão espinhosa. Confira:

Descubra quantos cursos de graduação existem no Brasil!

Por que os recrutadores perguntam sobre pontos fortes e fracos em uma entrevista

Primeiro, pedindo para você listar defeitos e qualidades para falar em entrevista, os recrutadores vão avaliar se você é honesto, se possui autocrítica e se tem coragem de enfrentar suas vulnerabilidades sem fugir à pergunta.

Segundo, sua resposta será decisiva para que eles avaliem se você realmente possui o perfil para a vaga. Nesse sentido, é bem importante que você responda essa questão sem meias palavras.

É preciso ser claro, direto e honesto. No entanto, como você pode imaginar, existem formas mais assertivas do que outras para responder essa questão, conforme veremos a seguir.

🔵 Leia também: As profissões que serão extintas no futuro (e as que vão permanecer)

Como descobrir defeitos e qualidades para falar em entrevista

O primeiro passo para identificar defeitos e qualidades para falar em entrevista é exercitar a autocrítica e o autoconhecimento, o que nem sempre é um caminho fácil ou agradável.

Fazer terapia ajuda, mas você pode fazer sua própria autoavaliação, respondendo algumas perguntas para você mesmo. Lembre-se das últimas situações desafiadoras que você vivenciou no trabalho, em casa ou na faculdade e pense sobre como você reagiu a elas.

Então, pergunte-se:

Situação 1 - Defeitos

  • Quais foram as situações que me deixaram mais desestabilizado nos últimos tempos?
  • Por que eu fiquei desestabilizado? Como eu reagi?
  • Como eu poderia ter agido melhor?

Situação 2 - Qualidades

  • Quais foram as situações com as quais eu lidei melhor nos últimos tempos, nas quais obtive um resultado satisfatório em algum nível?
  • Por que eu me saí bem nessas ocasiões? Qual foi a característica pessoal que me ajudou?
  • Como isso costuma impactar as pessoas que convivem comigo?
  • Existem habilidades positivas que eu poderia desenvolver ainda mais?
  • Em quais atividades ou cargos eu me desenvolveria rápido tendo em vista estas habilidades que possuo?

Ouvir atentamente os feedbacks que você recebe de amigos, colegas, professores e gestores também é importante para identificar estes traços positivos e negativos. Caso nunca tenha recebido, você também pode solicitar uma crítica construtiva para essas pessoas.

Citar feedbacks recebidos por pares e especialmente por superiores durante a entrevista é uma boa estratégia, pois funciona como um argumento de confirmação ao que você está dizendo.

 

 

 

Exemplos de qualidades que podem ser mencionadas na entrevista

Existem qualidades que são importantes para quase qualquer vaga.

Isso porque elas se conectam com a visão atual que os empresários e especialistas compartilham sobre as necessidades do mercado de trabalho contemporâneo. Um bom medidor são as habilidades apontadas pelo Fórum Econômico Mundial, por exemplo.

Veja algumas destas habilidades, lembrando que elas podem ser técnicas ou comportamentais:

🔵 Leia também: Como saber se fui bem na entrevista de emprego?

Exemplos de defeitos que podem ser falados na entrevista

Os defeitos são a parte mais “espinhosa” de responder e também podem ser técnicos ou comportamentais. Nessa hora, é preciso buscar o equilíbrio entre a sensatez e a honestidade.

Como? A dica é não citar defeitos excessivamente negativos ou que discordem dos valores e competências buscados pela empresa. Também é importante evitar os defeitos que te desqualificam para a vaga específica a qual você está concorrendo.

Outra recomendação valiosa é, após citar suas características negativas, explicar como você costuma contorná-las e o quanto tem conseguido melhorar em algum aspecto.

Também é interessante defender que nós, seres humanos, nos diferenciamos pela capacidade de aprendizado e mudança, e que um desempenho específico não é definitivo, colocando-se à disposição para superar as características citadas.

Alguns defeitos que você pode mencionar, caso eles se apliquem a você:

  • Timidez
  • Autoestima baixa
  • Dificuldade para falar em público
  • Dificuldade para socializar
  • Dificuldade de focar por muito tempo em uma tarefa só
  • Pouca experiência com números
  • Pouca experiência com softwares de edição
  • Falar demais ou muito alto
  • Ansiedade na hora de defender uma ideia ou participar de uma reunião importante

🔵 Leia também: Perguntas de entrevista de emprego mais frequentes e como responder

É possível transformar o defeito em algo positivo?

Sim, é possível, especialmente quando você relata quais são as atitudes que você coloca em prática para driblar a característica em questão e como você tem evoluído ao longo do tempo.

Nessa resposta, o principal desejo dos recrutadores é avaliar a sua honestidade e a sua espontaneidade. No entanto, é preciso ter cuidado para não aparentar ser autocentrado e ter dificuldade de fazer autocrítica.

A dica é responder de forma objetiva qual é o defeito, dando um exemplo, e explicar brevemente como você faz para contornar essa característica, sem negá-la.

Você não precisa se alongar muito, mas não pode fugir do objetivo principal, que é responder a questão da forma mais sincera possível. Lembre-se de falar olhando nos olhos dos recrutadores, pois assim você passa credibilidade e consegue se comunicar de forma mais assertiva.

Tome cuidado também com a autossabotagem, atitude associada à síndrome do impostor, quando o candidato cita defeitos que se afastam do perfil que os recrutadores buscam.

E então, essas dicas ajudaram você a treinar para listar seus defeitos e qualidades para falar em entrevista? Conte aqui nos comentários!

Leia também:

Como escolher uma faculdade EAD

Redação Blog do EAD

Por Redação Blog do EAD

Gostou deste conteúdo? Compartilhe com seus amigos!